Como fazer um geoplano e a Torre de Hanói com tampinhas da garrafa pet

Ainda não leciono, talvez por insegurança. Ensinar é a minha paixão mas também uma responsabilidade enorme. Por esse motivo tenho buscado inspirações e estratégias que relacionem a teoria com a prática e que auxiliem no aprendizado afinal eu quero ser uma boa professora, daquelas que os alunos lembram quando estão contando histórias para os filhos.

Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis

Eu tive professores que me marcaram e gostaria muito de fazer a diferença. Só preciso perder um pouquinho da minha timidez. Nas aulas de Laboratório de Matemática I e II tive contato com vários exemplos de que o uso de materiais concretos funcionam e que estes podem sim fazer parte do dia a dia da sala de aula.

Então conheci o LSM através de um vídeo do canal Matemática Rio e fiquei encantada com a proposta de transformar materiais que descartamos, muitas vezes como lixo, em um objeto de aprendizagem. 

Estou confeccionando alguns que vi no blog e quero apresentar para vocês dois outros bem legais e fáceis de fazer.

São estes: o geoplano feito com tampinhas de garrafa pet e a torre de Hanói.

Geoplano de tampinhas de garrafa pet

Para confeccioná-lo você vai precisar de:
  • Tampinhas de garrafa pet;
  • Um pedaço de isopor no formato retangular ou quadrado (aproveitei aquele que vem em eletrodomésticos);
  • Cola , lápis e régua para fazer as marcações;
  • Tinta guache (opcional);
  • Pincel;
  • Borrachinhas de dinheiro (pedi ao caixa do banco). 
Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Primeiro passo:
Se o isopor tiver algumas imperfeições, é legal usar uma lixa de madeira para deixar lisinho. Depois, com o uso da régua e lápis, faça marcações no isopor.

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Segundo passo:
Pressione a tampinha no isopor sem vazar, nesse espaço da marcação você passará a cola para que as tampinhas fiquem firmes e não soltem.

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Terceiro passo:
Colar as tampinhas. Passei a cola nas marcações e pressionei as tampinhas.

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Depois de colar todas, coloquei livros pesados em cima e deixei pra terminar a próxima etapa no dia seguinte. Fiz fileiras de cores diferentes pra ficar ” bunitinho” e bem colorido.

Quarto passo:
Pintar a base (opcional). Usei amarelo, só depois "me liguei" que as borrachinhas são da mesma cor.

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Agora está pronto. É só utilizar para calcular, áreas e perímetros de figuras planas.

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Torre de Hanói

Para confeccioná-la você vai precisar de:
  • Isopor, aquele do eletrodoméstico;
  • Estilete;
  • Tinta guache e pincel;
  • Palitos de churrasco.

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Primeiro passo:
Faça uma base com o isopor. Depois faça quadrados de tamanhos diferentes com isopor. Pinte a base e os quadrados com cores diferentes.

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Segundo passo:
Meça com o quadrado maior os locais onde irá firmar os palitos para formar três torres (importante: lixe a ponta dos palitos).

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

Agora é só utilizar.

Como Fazer: Geoplano com tampinhas e Torre de Hanoi com recicláveis por Daniela Coelho
Amplie a imagem

A torre de Hanói é um jogo de estratégia que consiste em passar as peças da torre 1 até a 3 com a menor quantidade de movimentos. Detalhe: durante os movimentos a peça maior não pode ficar sobre uma peça menor.

Começando com quantidades menores de peças (1, 2, 3 por exemplo) e montando tabelas, chega-se a uma função que relaciona os movimentos com a quantidade de peças.

Este é um artigo convidado, escrito e enviado exclusivamente para o blog LSM, por Daniela Coelho, aluna do 7° período de Licenciatura em Matemática na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM.

SOBRE O AUTOR

Relacionados

Darling Domingos 5549387813687001569

Postar um comentário

Vencedor na Categoria Ensino Médio

Vencedor do 2º Prêmio de Educação Científica

Recente

Popular

Destaque

Caixas misteriosas para abrir o ano letivo

Nada melhor do que começar o ano letivo despertando a curiosidade dos nossos alunos, uma vez que, segundo Rubem Alves, educar é a arte de ...


item